Se seu cachorro está apresentando dificuldade de locomoção ou perda de equilíbrio, preste atenção: ele pode estar com problemas na coluna. A hérnia de disco em cães é um assunto sério e muito comum entre os pets, portanto, é importante saber identificar os seus primeiros sinais para providenciar o melhor tratamento o mais rápido possível.

Os discos invertebrais são estruturas do ligamento das vértebras na coluna dos cães. Eles são cartilaginosos e têm a função de evitar o atrito e permitir o movimento da coluna. Se um deles sai do lugar, por degeneração em consequência da idade ou de um trauma, ele pressiona a coluna, provocando dor intensa e podendo levar à paralisia. Esse deslocamento tem o nome de hérnia discal canina.

Algumas raças são mais propensas ao desenvolvimento desse tipo de problema e precisam ser observadas com mais atenção. Confira abaixo quais são os cães mais afetados e saiba como identificar e tratar essa doença!

Tipos de hérnia de disco em cães

Existem diferentes tipos de hérnias de disco em cães. A tipo I acomete principalmente as raças de baixa estatura, com pernas curtas e coluna mais longa — como shih tzu, beagle, basset hound, cocker spaniel e pequinês —, aparecendo de forma aguda entre os dois e os seis anos.

Já a hérnia de disco tipo II afeta raças de porte médio e grande — como boxer, labrador, golden retriever e pastor alemão —, tem evolução normalmente mais lenta e aparece mais tarde, entre os cinco e os doze anos.

Mais severa, a hérnia tipo III provoca um deslocamento grave do disco e, em muitos casos, leva à morte.

Sintomas

Os sintomas dos diferentes tipos de hérnia de disco são semelhantes e se manifestam da mesma forma em qualquer raça. O pet que está sofrendo com esse problema passa a sentir muita dor na coluna e demonstra isso ao apresentar dificuldade para se locomover, perda de equilíbrio e sensibilidade ao ser pego ou apalpado.

Outros sinais de problema são dificuldade em fazer as necessidades ou incontinência, costas arqueadas e perda de sensibilidade nas patas.

Tratamento

O diagnóstico de hérnia discal é feito por meio de exames de imagem como a ressonância magnética, que permite ao veterinário visualizar a coluna, identificar o problema e determinar seu grau.

Um dos possíveis tratamentos é o repouso absoluto. Para promover a recuperação da coluna, o pet fica confinado por um mês, evitando qualquer tipo de atividade física.

Também é possível tratar o problema com medicamentos, mas, ao tomar os remédios, muitos cães deixam de sentir dor e voltam a se movimentar normalmente, podendo agravar o quadro.

Nos casos mais avançados, é preciso realizar uma cirurgia para descomprimir a coluna vertebral. O procedimento é considerado simples e tem grandes índices de sucesso.

Recuperação

Caso o seu amigo precise ser operado para corrigir a hérnia, ele exigirá cuidados especiais.

A reabilitação vai incluir fisioterapia para diminuir a dor e ajudar na recuperação dos movimentos. Além disso, o profissional veterinário poderá recomendar o uso de esteiras, calor infravermelho, eletroterapia e acupuntura.

A hérnia de disco em cães é um problema sério que pode ter consequências graves. Contudo, quanto mais cedo ela for diagnosticada, melhores chances seu amigo terá de se recuperar.

Gostou do conteúdo de hoje? Caso tenha alguma dúvida sobre essa ou até mesmo outras condições que podem afetar o seu pet, não deixe de entrar em contato conosco!